quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Petrobras reduz investimentos em proteção ambiental e projetos sociais


Os prejuízos registrados pela Petrobras em 2014 atingiram diretamente investimentos da companhia em proteção ambiental e em projetos sociais e culturais, marcas fortes da empresa ao longo de sua história. A informação consta do Relatório de Sustentabilidade, divulgado ontem (11) pela estatal.
De acordo com os números apresentados, o total em dispêndios e gastos em proteção ambiental em 2014 somou R$ 3,276 bilhões, abaixo dos R$ 3,324 bilhões investidos em 2013, com uma redução de R$ 48 milhões. Dentro desse total, houve avanço em gastos ambientais relacionados com produção e operação, que de R$ 2,727 bilhões em 2013 para R$ 2,829 bilhões em 2014.
Houve, entretanto, uma queda acentuada nos investimentos de projetos de recuperação de áreas degradadas, que caíram de R$ 373 milhões para R$ 245 milhões entre 2013 e 2014. Também houve redução nos gastos com equipamentos e sistemas de controle de poluição, que representavam R$ 118 milhões em 2013 e passaram a R$ 94 milhões em 2014. Nos investimentos em programas e projetos externos ambientais, houve leve aumento, incluindo patrocínios, de R$ 104 milhões em 2013 para R$ 107 milhões em 2014.
Os projetos sociais foram igualmente afetados pela crise da estatal. Em 2013, foram investidos R$ 391 milhões neste segmento, valor que caiu para R$ 263 milhões no ano passado, em uma diferença de R$ 128 milhões. Outra área que sofreu foi a cultural, que registrava aportes de R$ 203 milhões em 2013 e ficou com R$ 142 milhões no último ano.
Na contramão da crise, salvou-se a área de investimentos esportivos, que cresceu de R$ 81 milhões em 2013 para R$ 98 milhões em 2014. No total, os investimentos sociais, ambientais, culturais e esportivos, somados, decresceram de R$ 780 milhões em 2013 para R$ 612 milhões no ano passado, uma queda de R$ 168 milhões.
Nos últimos cinco anos, porém, de 2010 a 2014, a estatal investiu R$ 1,265 bilhão em projetos sociais, R$ 887 milhões em projetos culturais, R$ 743 milhões em projetos ambientais e R$ 401 milhões em projetos esportivos.
Procurada para comentar o assunto, a estatal ainda não havia se pronunciado até a publicação desta matéria. Porém, na Mensagem do Presidente que abre o relatório, Aldemir Bendine diz que “mudanças no contexto dos negócios da Petrobras, em função do declínio dos preços do petróleo, apreciação do dólar e necessidade de reduzir o nível de endividamento estimularam uma revisão das perspectivas futuras da companhia e, consequentemente, levaram à necessidade de redução no ritmo de nossos investimentos”.
A íntegra do Relatório de Sustentabilidade da Petrobras pode ser acessada no endereço www.petrobras.com.br/rs2014.
Por Vladimir Platonow , da Agência Brasil, in EcoDebate, 12/08/2015
Comentário: o meio ambiente e o povo oprimido, não são culpados pela crise da Petrobrás. Por que sacrifica-los? jgh


Nenhum comentário: