sábado, 22 de novembro de 2014

Se eu fosse socialista seria diferente dos outros socialistas.

Ilustre Júlio César Garcia, eu não aprecio a agressividade nos comentários, mas tirando-a dos comentários dos outros, o quê prevalece é a indignação. Eu sinto muito, mas não consigo vislumbrar nenhum combate a miséria. Esse programa do Bolsa Família tem uma função parecida com a do picolé, ou seja, “chupa logo senão derrete”. Ora, mensalmente, o governo agrada milhões de pobres que continuam pobres. No meu sentir, desde o início, os governos perderam a grande chance de, efetivamente, fazerem algo sério e relevante. Sim imaginemos que mensalmente, o governo empenha uma fortuna no Bolsa Família, essa se direcionada em programas do tipo agrovilas, certamente, os seus efeitos agradariam a todos os brasileiros. A meu ver, a maioria dos brasileiros aprovaria, pois haveria expectativa de futuro. Hipótese: uma agrovila abrigaria 50 famílias em qualquer município brasileiro. O Minha Casa Minha Vida construiria as casas; Ministério da Educação: escola; Ministério da Saúde: posto de saúde. O Ministério da Agricultura ofereceria o suporte técnico, ou seja, ensinaria ou atualizaria as famílias no sentido de aprenderem ou reaprenderem a trabalhar no campo. Obs. “projetemos a hipótese para os 5.564 municípios”. Eu não tenho dúvidas, a maior parte da alimentação básica, já sairia dos próprios quintais. Por fim, se você analisar o contexto do exposto poderá ter a impressão de que sou socialista, porém, eu lhe garanto que não sou. Explico: os socialistas do Brasil, não conseguem empreender conforme a minha hipótese. Grande abraço.
Leiam mais...

Nenhum comentário: