sábado, 19 de outubro de 2013

Leilão do Campo de Libra.

O leilão de exploração de petróleo do campo de Libra é cercado de interrogações.

Comentário:
Eu diria que o leilão se constitui numa enorme frustração porque o ideal seria que o Brasil o explorasse. Talvez, o leilão decorra da incapacidade de recursos da Petrobras. Num comparativo, eu diria que é mais ou menos assim. Alguém assume a gerência de uma fazenda com milhares de hectares, onde se desenvolve diversas atividades. No decorrer do tempo a gerência deixa a desejar, talvez por ausência de planejamento. Por conseguinte, os trabalhadores dessa fazenda começam a enfrentar dificuldades, os resultados se distanciam do ideal de qualidade. De repente, descobrem nessa fazenda enorme mina de diamantes. Pronto, euforia total, tanto de quem gerencia quanto de quem é gerenciado. Por quê? Ora bolas, porque encontraram a solução, assim resta garimpar os diamantes. Infelizmente, a fazenda não detêm recursos financeiros para atender a demanda. A gerência por sua vez decide pela solução mais fácil, qual seja leiloar lotes àqueles que oferecem condições de levar adiante a extração. O povo que vive na fazenda fica revoltado, pois veem e percebem que estão sendo prejudicados. Ah, mas a gerência tem pulso firme e custe o que custar jamais desistirá de leiloar. E a vida segue até a próxima eleição, onde o povo novamente votará nos mesmo de sempre para o gerenciamento da fazenda. No futuro, a história mostrará aos jovens estudantes de que no passado, a Fazenda Brasil abriu mão de um incomensurável quinhão. Por fim, esse quinhão estava ali encravado no fundo do mar e fazendo parte dos nossos recursos naturais. Sim, aqueles que também não contam com o privilégio da preservação ou da consideração.

Nenhum comentário: