quarta-feira, 11 de julho de 2012

Urutau desperta curiosidade no centro de Rio Preto

Rubens Cardia
Ave da hábitos noturnos resolveu
 passar o dia todo no prédio do
Deinter-5
Um urutau, ave de hábitos noturnos, atraiu a atenção das pessoas que passavam pela rua General Glicério, no centro de Rio Preto. A ave ficou durante todo o dia, imóvel, sobre o muro do Deinter, Departamento de Polícia Judiciária.
Continue lendo
Comentário.

Quando no policiamento militar ambiental, preferencialmente, nas madrugadas, nós ancorávamos a embarcação em pontos estratégicos do Rio Turvo com a expectativa de surpreender caçadores de jacarés e capivaras. O silêncio era total, apenas algumas estrelas caminhantes - jatos dez mil metros de altura - o flash de um sealed bean ou o melancólico canto de um Urutau. Às vezes, o não esperado assusta e faz arrepiar os pelos. Não podia esquecer, o flash do sealed beam se aproximava, o coração disparava, ou seja, adrenalina total; de repente, entrava na curva mais próxima. A partir daí era um Deus nos acuda, pois havia competição de habilidades, isto é, caçadores viravam caças e policiais viravam caçadores. Os motores de popa rugiam turvo acima ou turvo abaixo, era um Deus nos acuda. A canga d'água se multiplicava e espantava a bicharada que das margens testemunhava o desafio entre a lei e aqueles que a infringiam. Destarte, nem sempre a lei saia vencedora, mas quando vencia o que se ouvia não era o canto dos urutaus, mas sim a choradeira daqueles até então insensíveis caçadores que sem perdão, normalmente, ceifavam as vidas dos animais silvestres indefesos. Concluindo, quem sabe um dia ainda seja possível a conscientização.


Nenhum comentário: