quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Apreensão de armas

http://www.afam.com.br/imagens/galeria/1578.jpg

Polícia Militar Ambiental apreende grande quantidade de armas em Presidente Prudente                                                                                                                    

Na tarde de segunda-feira, 7 de novembro, o Policiamento Militar Ambiental apreendeu 44 armas de fogo em situação irregular e centenas de munições de diversos calibres, no município de Presidente Prudente.

Policiais militares, durante atendimento de denúncia sobre armas em situação irregular em uma residência no Jardim Colina, realizaram contato com o proprietário e durante vistoria no interior da residência, constataram a existência de 44 armas, sendo 25 armas de cano longo e 19 armas de porte, entre revólveres e pistolas, 06 silenciadores, 01 máquina de recarga de cartuchos, 67 munições intactas e 139 cartuchos deflagrados de calibres permitidos e restritos, além de diversos acessórios para reparos de armas e vários materiais utilizados para caça.
As referidas armas e os materiais foram apreendidos e o envolvido conduzido à Delegacia de Polícia de Presidente Prudente, baseado na Lei 10.826/03 do Estatuto do Desarmamento, sendo elaborado Auto de Prisão em Flagrante Delito.
Comunicação Social
Fonte: Polmil <> AFAM
Minha opinião:
Por conta do acima exposto, eu entendo que a fauna brasileira continua suscetível a cultura herdada, ou seja, sem valor algum no contexto preservação, vez que os ecossistemas findam gradualmente. O Código de Caça, assim como o de Pesca e Florestal não conseguem provocar o efeito educativo. Aqueles que infringem a lei nem podem ser culpados, vez que para isso também não foram educados. Educação Ambiental, na teoria emocionante, mas na prática decepcionantemente.

Um comentário:

Jorge Gerônimo Hipólito disse...

Congratulo-me com a Polícia Militar Ambiental do estado de São Paulo (Presidente Prudente) pelo esforço que envidam desde 1949. Se dependesse desses nobres profissionais, eu não teria dúvidas de que homens e natureza viveriam para sempre em harmonia.