terça-feira, 2 de agosto de 2011

O Veneno Está na Mesa

                                

Respeitosamente, eu fico a imaginar sobre qual seria a reação da Presidência da República, quanto a suscetibilidade do povo aos efeitos maléficos dos agrotóxicos? Haveria possibilidade de que determinassem tomadas de providências? 
                                         

Depois de analisar o constante dos vídeos e prever o incomensurável custo no tratamento a saúde de milhões de pessoas adoecidas, o Ministério da Saúde decidiria para que houvesse maior controle no uso dos venenos?
                                         

Ao mesmo tempo indagaria ao Ministério da Agricultura sobre qual alternativa, eles conscientemente optariam, ou seja, investiriam na quantidade ou na qualidade dos alimentos produzidos?                                       
                                       

Ah, mas restaria saber como o Ministério do Meio Ambiente se posicionaria frente a perniciosidade dos agrotóxicos com relação a infiltração e contaminação do solo, do lençol freático (água) e por conta da evapotranspiração que levaria a contaminação do ar?

Importante destacar a dependência dos povos com relação a produção de alimentos, bem como a dependência dos agricultores frente as empresas que fabricam os (venenos) "defensivos". Resta acreditar que a interdependência possa nos conduzir para a solução, onde todos ficariam bem, principalmente quanto a saúde.

Considerando a relevância do vídeo/documentário, nos resta agradecer ao cineasta Sílvio Tendler, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Instituto Nacional do Câncer (Inca) pelo esforço empreendido na realização do alerta sobre o problema. Que Deus nos proteja.

Nenhum comentário: