quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Governo não tem controle de terras em mãos estrangeiras, aponta Incra em audiência pública na Câmara

Em audiência pública na Câmara, nesta terça-feira (2), o coordenador-geral agrário do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Mauro Sérgio dos Santos, ressaltou que o governo não sabe ao certo a quantidade de terras brasileiras que pertencem a estrangeiros. Segundo ele, até 2010 “milhares e milhares de terras” foram adquiridas por empresas nacionais com maioria de capital estrangeiro sem o controle do Estado. EcoDebate

Na hipótese de considerar o Brasil como se fosse uma grande fazenda, logo concluiríamos tratar-se de um enorme carrascal administrativo. Como assim? Ora, porque há emaranhados que impedem o desenvolvimento do povo brasileiro, basta observar que sempre é muito difícil de se resolver as coisas. Por exemplo, a administração não é capaz de solucionar as questões do trabalho escravo, desmatamentos, educação, infraestrutura, corrupção,  segurança pública e muito menos da invasão das nossas terras pelos estrangeiros. Voltando a hipótese, nós diríamos que os bois estão se desgarrando em meio a quissassa, e pior, são exóticos. Enquanto os estrangeiros tomam posse das nossas terras, o povo pobre do Brasil não alcança a Reforma Agrária, pois se sustenta na política paternalista do Bolsa-Família. Os recursos destinados ao Bolsa-Família poderiam ser utilizados na aquisição de fazendas, onde se geraria trabalho, renda e dignidade. Obs.: imaginem se o governo confiscasse e redirecionasse o dinheiro desviados pelos corruptos em benefício da Reforma Agrária. Concluindo, nessa circunstância poderíamos dizer, o Brasil se transformou numa fazenda modelo, onde os bois engordam sob os os olhos dos donos.

2 comentários:

REGINALDO disse...

Parabéns pelo excelente blog.
Eu sou o SD reginaldo 2º Pel ambiental de Caicó.
http://reginaldogeografia.blogspot.com/

Jorge Gerônimo Hipólito disse...

Olá Reginaldo, Bom Dia!

Eu tenho imenso prazer em conhecê-lo, mesmo que virtualmente. Com relação ao blog, eu posso lhe dizer que a intenção seria influenciar para que nós humanos pudéssemos viver sempre em harmonia. Infelizmente, isso ainda não foi possível, vez que nós mesmos criamos os conflitos. Ainda sobre a harmonia imaginemos se a nossa vida durasse cem anos, nós a consideraríamos curta, apesar dos problemas. Agora, imaginemos se o nosso mundo (Brasil) pudesse implantar um desenvolvimento sustentável, certamente, todos nós seríamos um pouquinho mais felizes e a nossa vida, talvez de cem seria bem melhor vivida.

Grande abraço, a você, a sua família, e a todos os seus colegas de profissão. Que Deus sempre interceda na obtenção do êxito.