segunda-feira, 27 de junho de 2011

Cachoeira do Talhadão está ameaçada

Olá a todos. A AMERTP - Associação de Defesa do Meio Ambiente dos Rios Turvo e Preto e da Cachoeira do Talhadão - está com um site onde estão sendo colhidas assinaturas eletrônicas contra a construção das Pequenas Centrais Hidrelétricas No Rio Turvo que, se construídas, como todos já sabem, destruiria importante ecossistema (fauna e flora) da nossa região e o Rio Turvo que é um rio vivo passaria a ser um rio morto, sem vida, sem importantes espécies de peixes (raros e ameaçados de extinção).
Precisamos da ajuda de todos, por favor repassem o site abaixo para seus amigos e contatos, assinem o abaixo assinado eletrônico, ajudem a salvar o Turvo, o meio ambiente, a vida. Se acreditava na possibilidade de 1.000 assinaturas, hoje acredito em 100.000. Podemos fazer a diferença como os que lutaram pela vida ou apenas ficarmos indiferentes.
Precisamos da ajuda de todos. Obrigada, abraços, Gisele.
Minha Opinião.
No ano de 1977, pela primeira vez e na condição de policial militar ambiental, eu conheci o Talhadão. Nesse dia e por ser o mais novo entre os policiais fui a copa de uma árvore, onde fixei placa que orientava as pessoas a não praticar a pesca nas corredeiras, tombos e cachoeiras. O tempo foi passando e a fiscalização constante sempre surpreendendo infratores na pesca proibida. Importante ressaltar o óbvio, as pessoas pescavam porque ali havia peixes e havia tanto que ao tentarem escapar da fiscalização fugiam abandonando o produto da pescaria, as vezes 50, 100 ou até 200 quilos de curimbatás, dourados, lambaris, piaparas, piaus etc. Eu lamento não ter filmado, mas na década de 80 e no período de piracema, os dourados saltavam o tombo principal impulsionados pelo instinto; aos nossos olhos, um show da natureza. Na época da piracema (desova), no momento em que se adentra a mata ciliar, você sente forte cheiro de peixe, talvez seja porque muitos já desovaram. Com relação as PCHs, eu pressinto que seriam prejudicadas, vez que o Rios, Turvo e Preto são caudalosos, ou seja, transportam grandes quantidades de sedimentos, o que leva a crer que haverá um assoreamento precoce. Além do assoreamento, as PCHs eliminarão a fauna ictiológica, assim como a silvestre. Concluindo, aos que defendem um desenvolvimento sustentável resta acreditar no bom senso das autoridades.





Um comentário:

Gisele Paschoeto disse...

Obriga Jorge pela ajuda disponibilizando o texto e nosso pedido de SALVE O TURVO no seu blog. Abraços, Gisele Paschoeto.