domingo, 16 de janeiro de 2011

Sugestão: solução de política habitacional para o Rio de Janeiro.

Belo Monte custa mais que R$ 19 b

"O investimento estimado para construção da hidrelétrica de Belo Monte (11.233 MW), no Rio Xingu (PA), é superior aos R$ 19 bilhões previstos oficialmente pela EPE, admitiu nesta quinta-feira (19/8) o diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Eletrobras, Armando Casado. Ele não revelou o valor calculado pelo consórcio, mas garantiu que a taxa de retorno supera o custo de capital e que três consultores contratados aprovaram a rentabilidade do empreendimento". Veja mais no link abaixo:
Considerando a tragédia provocada pelas chuvas na região serrana do Rio de Janeiro e levando em conta as centenas de pessoas que morreram, ousamos fazer a seguinte sugestão.
O governo federal suspende a construção da Usina de Belo Monte, vez que a energia a ser produzida não tem caráter emergencial e ao mesmo tempo redireciona os recursos para a aquisição de áreas próximas as cidades de Bom Jardim, Itaipava, Nova Friburgo, Petrópolis, São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro e Teresópolis. Nas áreas adquiridas e que não oferecerão riscos, o governo construiria condomínios para as famílias que se encontram desalojadas e para as outras que serão desalojadas nos futuros Janeiros. De repente, as próprias famílias estariam empregadas na construção e, por conseguinte, poderiam até dispensar um possível auxílio Bolsa Família. Obs.: na hipótese de o governo não aceitar a sugestão e ainda levar adiante a construção da usina de Belo Monte, simplesmente, aumentará o número de desalojados, ou seja, as pessoas na região serrana do Rio de Janeiro e toda a biodiversidade que se abriga na área a ser inundada por Belo Monte.
Nós acreditamos que o governo federal possa ser capaz de aceitar a sugestão e podemos garantir, se aceitar, haverá aplausos por parte da sociedade brasileira, bem como internacional. Obs: nós também acreditamos que não será necessário gastar os 19 bilhões.
Concluindo, ficaria demonstrado de que o governo estaria iniciando a verdadeira e tão sonhada política habitacional, pois no Brasil, o que vale mesmo não é o brasileiro?


Nenhum comentário: