domingo, 19 de dezembro de 2010

Abaixo-assinado contra o aumento nos salários do presidente da República, ministros e parlamentares. Dezembro/2010

Opinião do Blog.
Não restam dúvidas de que para sobreviver cidadãos e cidadãs necessitam de renda; o entendimento natural é de que quanto mais se ganha melhor se vive. Entretanto, cumpre observar que o governo vem ao longo de oito anos subsidiando milhares de famílias com o Bolsa Família. Ora, se isso acontece, é porque essas famílias vivem a margem da sociedade ou melhor do direito. Aliás, diga-se de passagem, elas não conseguem obter a renda mínima para o atendimento das necessidades básicas. Por que elas não conseguem? Porque não existe esforço político nesse sentido e, provavelmente, a mão de obra barata continue sendo prioridade aos empregadores. (aumentam as notícias sobre trabalho escravo por esse Brasil afora, isso significa que o instinto dominador se mantem preservado). Destarte, inadmissível a uma família atender as necessidades básicas com um salário mínimo – na nossa opinião essa condição de vida se assemelha ao trabalho escravo (legalizado).
Com relação ao aumento de salários nos três poderes, esse provocará o efeito cascata nos estados e municípios, sinceramente, nos desculpem, mas é vergonhoso. Obs.: dias depois de o aumento ter sido aprovado no Congresso Nacional um deputado federal foi entrevistado no Canal 16 (TV da Cidade) em São José do Rio Preto - ele disse assim: "eu nunca ganhei tanto na minha vida'. Nós não devemos acreditar que os brasileiros que compõem os três poderes não mereçam o aumento, mas considerando que no Brasil ainda existem milhões de outros brasileiros vivendo abaixo da linha de pobreza, o ideal e moralmente correto não seria atendê-los primeiro?
Nós não temos dúvidas de que aquela maioria que faz parte dos 87% da popularidade do presidente da república também gostaria que os líderes dos três poderes, se manifestassem no sentido de corrigir esse incomensurável equivoco político, haja vista o quanto incoerente foi. O povo pobre brasileiro é bom, passivo, dependente, conformado e até feliz, pois, se adapta ao sofrimento. No entanto, esse mesmo povo também é relevantíssimo no período que antecede as eleições. Nesse período, os políticos levantam as bandeiras das necessidades – e esse povo acredita que as propostas sejam verdadeiras.
Pois bem, levando em conta os princípios cristãos e da razoabilidade e moralidade, nós ficamos na expectativa de que os líderes dos três poderes se manifestem/posicionem, vez que milhões de brasileiros enfrentam dificuldades, ou seja, se não há recursos para melhorar a vida dessa maioria (pobre) também não haveria para melhorar “consideravelmente” a vida da minoria (rica). Afinal, somos ou não somos cidadãos e cidadãs de um mesmo Brasil? Concluindo, sejamos parceiros também na divisão das dificuldades

Um comentário:

Alaor Ignácio disse...

Grande e estimado amigo Hipólito,

você, sim, lutar da maneira que podemos para moralizar nosso Brasilsão!
Colocarei a assinatura na lista.
Abração e parabéns pelo blog.
alaor ig.