terça-feira, 16 de novembro de 2010

País ganha 720 hectares de eucalipto por dia

Ambientalistas protestam contra consumo elevado de água e a proliferação de pragas.
O Brasil ganhou nos últimos anos 720 hectares por dia de plantações de eucalipto. A quantidade, estimada pela Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas, equivale a 4,5 parques Ibirapuera ou a 960 campos de futebol.
Parte das novas áreas pertence a empresas estrangeiras, como a sueco-finlandesa Stora-Enso, que viraram um dos principais alvos de críticas de grupos como o MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra). Reportagem de FELIPE BÄCHTOLD, na  Folha de S.Paulo.
Opinião do Blog.
Eu era menino e morava numa fazenda, onde havia enorme mata plantada de eucaliptos. A mata já era adulta, talvez tivesse sido plantada lá nos idos de 1935. Em 1960, eu corria pela mata de ponta a ponta. Ela era sombreada, escura e cheirosa. Mas quase não se avistava passarinhos, provavelmente, por ela ser estrangeira, eles não a reconheciam como ambiente habitável, mas sim estranho ou quem sabe inóspito/antrópico. Havia comentários de que foram os descendentes de espanhóis que a plantaram.
Nós moradores, além da agricultura familiar (a ideal para conter o desemprego nos dias de hoje) utilizávamos lenha de café, pois não havia GLP. Uma vez ao ano, o fazendeiro autorizava os empregados a retirar uma cota de  material lenhoso da mata de eucaliptos (cortavam árvores mais velhas) para atender a demanda anual.
O tempo passou, fiquei adulto, me ingressei na Polícia Militar do Estado de São Paulo e logo fui prestar serviços no Policiamento Militar Ambiental. Pronto, lá estava eu, novamente me apresentava as matas plantadas de eucaliptos. Obs.: a demanda pela madeira dizimou em pouco tempo as matas plantadas, bem como as nativas.
Eu, na condição de policial militar ambiental,  sempre aconselhava os sitiantes e fazendeiros a plantar eucaliptos, vez que assim preservariam os maciços de mata atlântica. Não consegui fazer frente a ansiedade pelo capital, ou seja, hoje resta pequenina porcentagem de ipês, roxos, amarelos e brancos, jequitibás, jatobás, tarumas, sucupiras, faveiros, aroeiras, etc. Mas como a vida continua para os homens, o mesmo acontece com os eucaliptos, isto é, voltaram a plantá-los.
A unica coisa que lamento, infelizmente, os empreendedores não são cidadãos brasileiros, mas sim estrangeiros - iguaizinhos aos eucaliptos, ou seja, vieram de fora para explorar o solo brasileiro, e talvez, a custa de uma mão de obra barata. Eu já disse uma vez e se estiver errado, por favor, me corrijam -  nós estamos alugando o Brasil e quem o aluga leva embora as nossas riquezas.

Nenhum comentário: