quinta-feira, 26 de agosto de 2010

O Mercado da Educação

A educação vem se transformando numa alternativa viável de mercado e por conta disso aos jovens duas opções, ou seja, a escola pública ou a particular. Os ricos, se matriculam nas particulares enquanto aos pobres restam as públicas. Nas particulares, o nível de ensino é alto, já nas públicas muito baixo, com raríssimas exceções. O que compensa nas escolas públicas é que mesmo não aprendendo, o jovem estudante passa de ano. Dessa forma, a sociedade atende aos objetivos das estatísticas, isto é, reduz-se o índice de analfabetismo. No estado de São Paulo, o governo disponibiliza até dois professores por sala de aula, mas o aprendizado não muda, haja vista, o nível de ensino que se oferece. Eu penso que o salário de dois professores seria o ideal para apenas um. Destarte, se assim fosse, o professor melhor remunerado, certamente teria mais motivação para educar nossos jovens. Eu acho que o professor motivado compensaria até o debilitado conteúdo, obviamente, por conta do sacerdócio natural que se impregna na maioria dos educadores. Certa vez ouvi de um jovem estudante que lá na escola de ensino supletivo, os estudantes conseguiriam o certificado de conclusão do ensino fundamental e médio, no entanto, jamais a capacidade para serem aprovados num vestibular. Concluindo, assim a vida passa de geração em geração sob o crivo das eleições e releições daqueles que sempre ostentam a bandeira da educação.


Nenhum comentário: