segunda-feira, 31 de maio de 2010

Carta Virtual de Escravos no Século XXI

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Juliao14.JPG

Noite passada, passamos sem dormir,

por causa de um pesadelo,

onde não conseguíamos fugir.

Não estávamos amarrados em nenhum tronco,

não havia correntes, e nem mesmos os açoites

mas, acorrentados estávamos.

O nosso desejo era nos ver livre

dos senhores donos das terras,

onde produzimos cana, soja, boi gordo,

madeira e carvão.

SENHOR NOSSO E BOM DEUS,

ajude-nos, pois, lá no Congresso Nacional

uma lei será votada, e se aprovada,

ganharemos a liberdade tão sonhada.

Senhor deputado e senhor senador,

a nossa vida está muito difícil,

o nosso dia vai das seis as seis

e chega a doer a coluna, a cabeça,

as pernas e os braços, por causa de tanto cansaço.

Nós também votamos nos senhores e senhoras,

mas, não sabemos por qual razão, depois de eleitos,

esquecem-nos e vão se embora.

Por favor, aprovem a lei que nos vai dar proteção

e acabem de vez com essa maldita escravidão.

Na próxima eleição em vocês voltaremos a votar,

mas, o mais importante é que voltaremos a sonhar,

afinal, não somos brasileiros e não somos iguais?

3 comentários:

Anônimo disse...

Absolutamente ridículo.
Deveria se preocupar mais com o patrulhamento ideológico que aflige a maior parte da população, imposta pela mídia e pelos grupos esquerdopatas.

Jorge Gerônimo Hipólito disse...

Anônimo, saibas que você também tem razão, haja vista, que o patrulhamento ideológico é tão voraz e cruel quanto aqueles que exploram a mão de obra dos pobres trabalhadores brasileiros. E também é verdade que a mídia dança conforme a música, pois do contrário corre-se o risco de perder a concessão. Ou seja, considerando que suportamos um regime de esquerda e que simpatiza com Chaves, Fidel, Stalin, Lênin entre outros, todo cuidado será pouco, vide o que ocorreu com a televisão Venezuelana. Fechou!

Rogerio Saraiva disse...

rsrsrs

Esse Anônimo é no mínimo engraçado.

Meu pai vem de trabalho no campo, vulgo "da roça", ele conta o que é trabalhar de sol a sol, e recebe só a comida.

Apesar do meus sofrimentos e da dificuldade política presente, ainda é bem distante do sofrimento que meu pai, avó e todos os meus antepassados passaram.

Nossas criticas são sempre feitas com sorriso, porque tudo tem melhorado em uma área mais noutra menos, mas tem melhorado.