quarta-feira, 21 de abril de 2010

Inconfidência Mineira



“Tiradentes, auto-proclamado líder da revolta, foi condenado a que "com baraço e pregão seja conduzido pelas ruas públicas ao lugar da fôrca e nela morra morte natural para sempre, e que depois de morto lhe seja cortada a cabeça e levada a Vila Rica, onde em o lugar mais publico dela será pregada, em um poste alto até que o tempo a consuma; e o seu corpo será dividido em quatro quartos e pregado em postes, pelo caminho de Minas, no Sítio da Varginha e das Cebolas, onde o réu teve as suas infames práticas, e os mais nos sítios de maiores povoações até que o tempo também os consuma; declaram o réu infame, e seus filhos e netos, tendo-os, e os seus bens aplicam para o Fisco e Câmara Real, e a casa em que vivia em Vila Rica será arrasada e salgada, para que nunca mais no chão se edifique, e, não sendo própria, será avaliada e paga a seu dono pelos bens confiscados, e no mesmo chão se levantará um padrão, pelo qual se conserve a memória do abominável réu". A sentença foi cumprida, mas a cabeça não chegou a ser consumida pelo tempo. Apenas uma semana depois, desapareceu misteriosamente do poste onde estava pregada. Já o padrão, erigido onde estivera a casa demolida, permaneceu no local até 1822. Declarada, finalmente, a independência, foi arrancado, reivindicando-se publicamente a memória do herói”.

“Não seria aplicado o mesmo rigor aos outros condenados à morte. Parcialmente exculpados pelas suas declarações e auxiliados por suas relações e o poder econômico das suas famílias, todos eles obtiveram a comutação das suas penas e foram degredados”.


Opinião decorrente:

A Coroa portuguesa se esbaldou nas inúmeras toneladas de ouro do Brasil, mas, como o ouro se constitui num recurso natural não renovável, automaticamente, foi-se reduzindo o que provocou a “Derrama”. Para a Coroa, o povo brasileiro seria obrigado a completar a cota (impostos), ou seja, não abria mão das pepitas. Grande Deus, os da Coroa não conseguiam compreender que não havia como ao povo sustentar a injusta obrigação.

Caros amigos, a revolta do Tenente Joaquim José da Silva Xavier deve ter sido incomensurável, e tanto o foi, que se autodeclarou líder da revolta. Notadamente, deveria ter consciência de que morreria pela causa, e morreu! Assim, satisfez o ego daqueles que compunham a Coroa, bem como de uma cambada de bajuladores.

Nós, não desejamos ousar em comparar, mas, pressentimos que herdamos resíduos do comportamento da Coroa, uma vez que a cobrança de impostos tortura o povo até aos dias de hoje. Obviamente, devemos reconhecer que os impostos dão suporte aos governos municipal, estadual e federal no sentido de que esses disponibilizem educação, saúde, habitação, emprego e renda, agricultura, reforma agrária, cultura, esporte e lazer etc.

Muitos parlamentam de que o Brasil é o país com as maiores taxas de impostos do mundo, por isso mencionei tortura. Justifico: o retorno ao povo também poderia equivaler-se aos impostos, por exemplo, se o salário mínimo fosse triplicado (coerente com os impostos), o governo não precisaria empreender com programas do tipo “Minha Casa Minha Vida, ou Bolsa Família, ao mesmo tempo milhares de famílias não precisaria morar nas encostas das montanhas e nem mesmo morrer soterradas em face da miopia governamental.

Importante observar que no último parágrafo do texto supra colacionado está claro que muitos tiveram as penas comutadas, ou seja, ao contrário de Tiradentes foram apenas degredados. Destarte, por influência do poder econômico. Nós, não queremos comparar, mas, se alguém resolver visitar algum presídio aos quatro cantos da ex-coroa vai constatar que os pobres estão ali representados.

Alerta 01: nós, brasileiros, devemos sempre lutar para impedir que a pena de morte não seja adotada no Brasil. Por quê? Porque na hipótese de isso ocorrer, certamente, reduziriam a população carcerária. Mas, e quanto aos ricos? Ah, esses seriam beneficiados com a comutação das penas.

Alerta 02: nas próximas eleições precisamos estar alertas e conscientes em não conceder o voto aos políticos ficha sujas, ou seja, votemos apenas nos fichas limpas.

Concluindo, os alertas 01 e 02 são importantíssimos para o futuro, pois, normalmente, as gerações herdam o comportamento do passado. E tenho dito. 

Nenhum comentário: