segunda-feira, 29 de março de 2010

"GOVERNO DO POVO, PELO POVO, PARA O POVO".


  • ABRAHAM LINCOLN FOI UM GRANDE HOMEM E UM GRANDE EXEMPLO, INFELIZMENTE, NÃO ESTÁ SENDO SEGUIDO, MAS BEM QUE PODERIA.
O mundo assistiu a passagem de uma crise terrível que afetou a economia e os governos buscaram alternativas empreendedoras que pudessem contorná-la e, assim, equilibrar a condição de vida na sociedade. Mas, pelo que se viu, nos fez parecer, por exemplo, que a melhor alternativa seria aumentar a produção de veículos automotores. No Brasil, o governo buscou reduzir IPI e motivou a aquisição via financiamento ao longo prazo. Eu espero que não, mas, o prazo dos financiamentos está correndo e as mensalidades deverão ser pagas, pois se assim não for, certamente, os pátios dos “LEILÕES” ficarão superlotados. Ah, também houve incentivo para a aquisição da linha branca (eletrodomésticos), onde as pessoas também influenciadas correram para as lojas.

Paralelamente, o governo decidiu implantar o programa “Minha Casa Minha Vida” o que parece ser muito bom, vez que atenderá ao sonho de milhares de brasileiros. Obs.: as casas são tão minúsculas que, ao construir os muros, provavelmente, os novos mutuários gastem além do que gastariam se construíssem as próprias casas. Mas, tudo bem, o programa atende a carência dos sem tetos, bem como dos empreendedores da construção civil. O problema é que logo, logo, as prestações estarão vencendo e os mutuários precisarão garantir emprego e renda, do contrário perderão a tão sonhada casinha. Afora isso e apesar do aumento da dívida pública ter ultrapassado um trilhão de reais, dizem que tudo vai bem.

A segurança pública está numa fase de pré-colapso, pois, a violência e criminalidade aumentam assustadoramente, talvez, decorrentes da desaceleração do policiamento, ou seja, hoje, as organizações policiais não conseguem mais fazer a prevenção. Isso significa que o crime está bem à frente com relação à política de segurança. Os governos adquirem viaturas do tipo, quatro rodas, duas rodas, embarcações, helicópteros e faz solenidades de entrega e dão publicidade tentando assim angariar pontos positivos para as próximas campanhas eleitorais. Os governos não se dão conta de que o principal investimento está em valorizar o profissional de segurança, ou seja, de que adianta ao policial utilizar viatura novinha ou até mesmo olhar lá de cima e ostentar o status de patrulhar com helicóptero se o salário irrisório frustra a esperança, uma vez que o policial deve enfrentar e resolver os problemas dos outros, porém, não consegue resolver o próprio.

O Deputado Arnaldo faria de Sá deu um passo importante quando apresentou a PEC-300 buscando assim a isonomia salarial nas policias de todo o Brasil tendo como base os salários da Polícia Militar do Distrito Federal. Incrível, mas, segundo comentários de deputados da câmara federal tem um deputado (Colégio de Líderes) por São Paulo e que pertence ao Partido dos Trabalhadores que está tentando impedir a aprovação dos destaques. Eu fico indignado com tudo isso, por exemplo, o Deputado Michel Temer pela lógica deve conhecer as dificuldades enfrentadas pelos policiais, uma vez que ele já foi secretário de segurança por São Paulo, diga-se de passagem, honestíssimo e equilibradíssimo na função, no entanto, parece que não se manifesta a respeito. Por quê?

Importante lembrar àqueles que são contrários a valorização dos profissionais de segurança pública que, o aumento da violência e da criminalidade alcançará a sociedade como um todo. A violência gera violência e no final não haverá vencedores, ou seja, será o caos numa sociedade que tem tudo para ser ordeira e promissora. A classe política vem mudando o comportamento e até parece que hoje, o objetivo não está em bem representar o povo, pois para o povo os empecilhos são de toda ordem, diferentemente, do que ocorre quando os benefícios recaem apenas para aqueles que legislam ou executam.

Concluindo, será que nesse imenso Brasil, não existem líderes capazes de se manifestar e, assim, influenciar para que sejam desenvolvidos projetos que possibilitem revitalizar a esperança do povo, a condição de vida, bem como a credibilidade daqueles que administram?

Nenhum comentário: