domingo, 14 de março de 2010

ESSA GENTE QUE ESQUECEU DE SER GENTE




O Gavião morrendo numa engenhoca conhecida por arataca sem perder a pose e o olhar penetrante

Numa manhã abrasadora do ano de 2009, lá pelas bandas do sertões do Caicó, a Rainha do Seridó, primor de beleza  nos rincões da Caatinga Potiguar, embrenharam-se com a bravura dos soldados de  Aquiles, dois nobres guardiões da natureza, o Cabo Elisaldo e Soldado Reginaldo, que com aguçada operatividade diligente depararam-se com uma das mais tristes cenas e ao mesmo tempo com um belo exemplo da grandeza dos bichos da nossa bela natureza, que indubitavelmente permanecerá por muitos anos na mente de nós Policiais Militares Ambientais e a partir de hoje na recente literatura policial militar do Estado do Rio Grande do Norte. Protagonizou no emblemático cenário, aquele que não nasceu com o dom menor de chorar, mesmo sentindo a implacável dor da morte cruel, porque morrer desse jeito, chorando, deve ser coisa dessa gente que esqueceu de ser gente. Ali preso no ferro, que vem da terra e na maligna engenhoca, estava aquele que foi condenado simplesmente por ser belo, altivo, imponente e desfrutar da regojizante liberdade nos céus da América? Isso só pode ser coisa dessa gente, gente que esqueceu de ser gente. Os nobres guerreiros de Aquiles, na hora ficaram sensíveis tão quanto, para não fugir da época, as mulheres grávidas de Atenas, e aí passaram a tratar aquele senhor dos céus como se tratavam os Reis naquela época, porque realmente ali estava o exemplo da nobreza e porque não cometer o pecado da omissão, da grandeza, grandeza daqueles que lutam contra o desvio de conduta dessa gente que esqueceu de ser gente. E assim caminha a humanidade, numa dialética de senhor e de escravo, homem racional senhor, natureza irracional escrava? Onde está a ética da natureza neste caso? Nessa gente que esqueceu de ser gente?


No papel da nobreza está aquele que Deus fez nascer belo e livre, no da grandeza os que compreendem e enxergam os sinais que refletem a obra do Criador, através do comportamento desses indefesos animais. E qual o papel dessa gente que esqueceu de ser gente? Lutemos, pois, com a altivez dessa ave de rapina, que tanto engalana os céus do nosso Brasil varonil, contra o comportamento desses e de muitos outros que tentam impor a escravização da natureza, com artifícios vil, deixando dessa forma de ser gente como aquela gente que de certa forma tenta evitar que esses lamentáveis fatos se perpetuem, aquela gente que estava lá amparando e prestando solidariedade aquele elegante animal, envergonhado e decepcionado por ser na aparência e não na essência, gente como aquela que esqueceu de ser gente.

Túlio César Alves de Oliveira – Maj QOPM
Cmt da CIPAM

O Sd Reginaldo demonstra sensibilidade para a câmera fotográfica e
tenta em vão amparar o indefeso animal 

 Cabo Elisaldo observa a cena com ar de decepção e impotência

Obs.: imagens/créditos: CIPAM

7 comentários:

Jorge Gerônimo Hipólito disse...

Eu fico imensamente feliz com esse artigo, pois deixa demonstrado que Comandante e Comandados envidam esforços na busca pela integração homem/natureza. Na verdade, atualmente, muito difícil de conseguir, vez que a ansiedade da escalada social impede os homens de vislumbrar aquilo que realmente tem valor. Notadamente, a vida. Um gavião não é apenas uma ave de rapina, assim como o homem não é apenas um ser humano, ou seja, ambos são dependentes de um contexto muito maior, ou melhor, a perpetuidade de um depende intrinsecamente do outro. Congratulações a Polícia Militar Ambiental do Rio Grande do Norte em especial ao Major Túlio, Cabo Elisaldo e Soldado Reginaldo. Eu, sinceramente, fico torcendo no sentido de que consigam educar sempre pelo amor em que pese alguns aprenderem apenas pela dor. Que DEUS os abençoe nessa árdua jornada.

Anônimo disse...

Que matéria maravilhosa, parabéns ao blogueiro, isto aí é um exemplo a ser seguido por todos nós

Anônimo disse...

Que excelente reportagem, parabéns.

Ana Prudente disse...

A cada dia sinto mais repugnância disto em que estamos nos transformando. O ser humano está podre, salvo raras excessões. Ando com vergonha de fazer parte deste grupo animal dotado de discernimento mas que porém, perde a noção de bondade e de respeito com tudo o que o cerca.

Ronda do Sertão disse...

Olá campanheiro Jorge, sou o cabo Azevedo da Paraiba, e apedido de um leitor do meu blog como também do seu publiquei essa linda materia, bem como apartir de agora sou seguidor desse maravilhos blog, ao mesmo instante que te faço uma visita e que nos add também como seguidor. Valeu amigo
Cabo Azevedo
www.rondadosertao.blospot.com

Gustavo disse...

Estão de parabéns os policiais (Elisaldo e Reginaldo) pelo desempenho profissional e pelo comprometimento com que de maneira desprendida e eficaz cumpriram a missão e o Major Túlio pela sensibilidade em extrair dessas cenas e do fato tão belas palavras que nos colocam a refletir sobre o nosso papel enquanto seres humanos, gestores do planeta.
Orgulho para o RN e para as polícias ambientiais de todo Brasil.

MUDA (Movimento Umarizalense em Defesa Ambiental) disse...

Tambem gostei muito da materia, muito legal, sem falar que foi aqui no meu RN.
Caro amigo Geronimo, agradeço de coração pela dica do viveiro, caso o senhor nao saiba, maçonaria aqui nao é tão forte, os demolay sao um bando de jovens sem militancia, nao sabe luta rpelo direitos de nada, so fazem algo quando é para promover a ORDEM, muitos estão la apenas pela viajens, pelas farra e brincadeiras que tudo aquilo é prpporcionado, nao tenho coragem de contar com ele, ainda mais eu que sou pavio curto e em algumas das reunioes houve discrusao. A diaonia tem um projeto em que ele tem mudas de diferentes especies e estaremos Hoje 09/06/2010 apartir das 7 horas da manha nos dirigindo a uma comunidade ribeirinha por onde passa o Rio Umari, do qual a Petrobras juntamente com a ONG diaconia estão realizando a recuperação do RIo, estamos indo plantar nas margrns 500 mudas juntamente com crianças e jovens de todas as esferas esolares, estadual, municipal e particular, como tambem dando aula de educação ambeintal
Forte abraço: Daniel