quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A INFLUÊNCIA DA MÚSICA



                                   

Certa vez, mais precisamente em 1957 e depois de ouvir a música “o menino da porteira”, no trecho onde diz: “jogava uma moeda e ele saia pulando” Jota ficou impressionado ao ponto de querer abrir a porteira para o primeiro carro que passasse. Assim, ficou na expectativa. A estrada ficava há uns cento e cinquenta metros de sua casa e lá, onde se fazia a divisa de propriedades havia uma porteira. No momento em que ouviu o ronco do motor de um carro, saiu correndo naquela direção. Quando chegou junto à porteira o carro já estava parando e obviamente, ao perceberem a intenção esperaram para que ele a abrisse. Com dificuldade Jota conseguiu. O carro passou, foi se afastando e o menino começou a chorar diante da possibilidade deles não jogarem a moeda. De repente, o carro parou e o passageiro a jogou para trás, assim com a unha do polegar direito. De imediato, Jota saiu correndo pela estrada arenosa com olhar fixo na moeda que encontrou parcialmente enterrada. Não sabia o valor, mas sabia que conforme a música tinha dado certo, ganhou a moeda! De posse dela dirigiu-se até ao armazém que ficava, aproximadamente, há trezentos metros de sua casa, com a intenção de comprar bolachas. Muito convicto foi e tudo isso, sem o conhecimento de Dona Iolanda, sua mãe. Detalhe: na época, o costume permitia as crianças moradoras em zona rural permanecerem sem roupas e era assim que Jota se encontrava, mas e daí, não estava preocupado. Jota jamais esqueceu dos risos que provocou no momento em que chegou pelado ao armazém querendo trocar a moeda por bolachas. Logo após a troca o comerciante impôs acompanhá-lo até a sua casa. Assim, muito feliz, acompanhado, sem pressa e comendo bolachas Jota tomou o rumo de casa. Mais adiante percebeu alvoroço de pessoas que se aproximavam da porteira, eram elas: sua mãe, tias, primas, primos e até sua avó, todos lhe procuravam, pois havia desaparecido. Nessa época, era comum levar surras dos pais por causa dessas atitudes, no entanto, provavelmente, Jota foi absolvido pelo fato de estar acompanhado, pelado e com um enorme pacote de bolachas nos braços o que provocou muitas risadas. No final, todos comeram bolachas por influência da música “o menino da porteira”.

Jorge Gerônimo Hipólito
Policial Militar (reformado)
São José do Rio Preto, 04 de maio de 2005.

Nenhum comentário: