domingo, 22 de novembro de 2009

Ciclos da Vida



  imagem/crédito: 4BPamb

Aos 14 dias do mês de dezembro do ano de 1949, foi lançada a esperança de que os recursos naturais do estado de São Paulo seriam preservados por força da legislação. Nessa data foi criada a Polícia Florestal (denominação da época), diga-se de passagem, foi a primeira e que hoje se constitui na maior e mais avançada organização em defesa do meio ambiente da América latina. Em 1949, o efetivo foi composto por 27 profissionais, sendo: 5 sargentos, 4 cabos, 18 soldados e o Tenente Odilon Spínola Neto, Comandante. Esse, juntamente com os comandados iniciava a árdua missão de aplicar a lei, independentemente, de outros interesses. Entretanto, na medida em que a sociedade se desenvolvia também avançavam as agressões ao meio ambiente.

O tempo foi passando e a polícia ambiental foi crescendo na mesma proporção do progresso. O contingente cresceu, assim como os quartéis, hoje, o estado de São Paulo conta com o CPAMB, 1º, 2º, 3º e 4º BPAMB e mais de 2.000 profissionais. Muitos desses profissionais são especialistas em direito ambiental que se privilegiam, pois, agregam a experiência prática do dia-a-dia. Na cidade de São José do Rio Preto, ao final do ano de 1997, sob a supervisão do Ten Cel PM Décio Vieira Coelho foi lançado o Programa Beija-Flor de educação ambiental. Esse programa foi desenvolvido por policiais educadores nos 189 municípios, esses, sob o manto protetor do 4º BPAMB. Extraordinariamente, a Escola Estadual Dr Alberto Cardoso de Melo – Tucuruvi – São Paulo, foi privilegiada com uma amostra do Beija-Flor, exatamente na semana da árvore, ocasião em que o Coronel PM Salvador Pettinato Neto estava à frente do CPAMB. O evento rendeu solenidade e as crianças, professores e policiais ocuparam espaço na Rua Francisco de Brito, 210.

Simultaneamente e em parceria com a UNIRP (Centro Universitário Rio Preto) criaram a JEDA (Jornada de Educação e Direito Ambiental) que vem possibilitando à sociedade e em especial aos alunos da universidade, o acesso as informações sobre a nossa realidade ambiental. Conforme o contexto, essa iniciativa se configura por demais relevante, prova disso é que nesse ano de 2009, a JEDA será desenvolvida na UNG (Universidade Guarulhos)

http://www.ung.br/noticias_ver.php?noticiaID=1757.

Eu fico muito feliz por testemunhar esse avanço, pois sempre me posicionei pela educação, obviamente, sem esquecer que a meta principal é que a lei possibilite o efeito educativo. Importante reconhecer que nesse caso, o capital (prática) vem se sobrepondo ao espiritual (Teoria). Dias atrás recebi homenagem na sede do 4º BPAMB, na ocasião, policiais militares ambientais encerravam o Torneio de Táticas e Técnicas de Patrulhamento Ambiental Rural em homenagem ao Sgt Ref PM Jorge Gerônimo Hipólito.

Sinceramente, devo reconhecer que não tenho problemas de coração, uma vez que não foi fácil me posicionar a frente da tropa para agradecer, talvez, por conta do “Ciclo da Vida”. O meu coração embargou minha voz e minha alma fez meus olhos chorarem. Isso ocorreu no dia 30out09, onde testemunhei mais uma vez que a Polícia Militar Ambiental continua firme na defesa dos sagrados princípios de sempre estar pronta para defender o meio ambiente, bem como a essencial qualidade de vida.

O meu ciclo na Polícia Militar Ambiental teve início no dia 10ago77 e terminou no dia 17ago03, portanto, durou 26 anos. Eu posso garantir que não foi um mar de rosas, mas fui feliz e mais feliz estou, especialmente, porque a instrução é parte integrante da filosofia de comando o que vem a garantir a manutenção dos princípios adotados no dia 14 de dezembro de 1.949.

Concluindo, eu quero agradecer ao senhor Ten Coronel PM Gilmar Ogawa, aos Majores, Capitães, Tenentes, Subtenentes, Sargentos, Cabos e Soldados e lembrar que estou reformado, porém, vivendo intensamente e torcendo pelo êxito deles. O êxito deles será sempre o nosso.

Nenhum comentário: