domingo, 13 de setembro de 2009

Políticas Públicas

O Brasil, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem hoje 189,6 milhões de pessoas. Eu, depois de observar esses números refleti sobre a seguinte sugestão: 189.600.000 x R$1,00 = R$189.600.000,00.

Esse montante somente seria possível se houvesse uma lei que disponibilizasse estratégia de arrecadação de impostos que equivalesse ao desconto de R$1,00 (um real) de cada habitante brasileiro. Nessa circunstância, alguém poderia dizer que não há viabilidade de se criar mais um imposto. Não, não seria criado mais um, mas seria sim transferido de outros impostos.

A partir dessa iniciativa se criaria um fundo especifico para a implantação da reforma agrária e combate as enchentes. Por exemplo, em Santa Catarina, as famílias que residem nos fundos dos vales vêm sendo castigadas por conta da alteração do comportamento climático e pelo que se vê continuará o tormento, vez que o governo não tem recursos para transferi-las das zonas de riscos.

No meu pensar, as famílias seriam transferidas para fazendas adquiridas com recursos do fundo. Nas fazendas, as famílias construiriam suas casas e ao mesmo tempo receberiam suporte tanto material quanto técnico para o desenvolvimento de uma agricultura diversificada.

Considerando o quão trabalhador é o povo catarinense, a de se prever que no médio prazo haveria melhoria da qualidade de vida. Entretanto, haveria de se ter obediência a legislação ambiental e, concomitantemente, aos efeitos corretivos àqueles que a desobedecessem, ou seja, ficaria terminantemente proibida a utilização das áreas de risco, independentemente, da finalidade.

Todavia, considerando a beleza ímpar daquele estado, mais adiante poderia sim utilizá-las, mas apenas com finalidades turísticas e com a ressalva do impedimento de edificações. Percebam que o fundo possibilitaria política pública de qualidade e não apenas ao estado de Santa Catarina, mas também a todos os estados brasileiros. Talvez, o mais importante seria antever as catástrofes, essas que há décadas se repetem e provocam despesas incomensuráveis. Infelizmente, a solução que hoje oferecem, é momentânea.

Eu sou favorável a qualidade de vida do povo catarinense, por conseguinte, pensei numa hipótese de solução, essa pode não ser a ideal, porém, foi a que acreditei. Assim, caso você prefira e mesmo que eventual, por favor, opine a respeito, pois quem sabe se a partir da união de idéias não culminemos com melhor solução.

Um comentário:

Carlos Nascimento disse...

Olá!
Passei por aqui e gostei de conhecer seu Blog, pois também gosto de viver em harmonia, principalmente com o nosso Meio Ambiente.
Abs