sábado, 12 de setembro de 2009

O Sorveteiro

Sorveteiro era artigo de luxo, só as crianças da cidade é que tinham esse privilégio. As crianças da fazenda apenas ouvia falar a respeito, às vezes tinham sorte, sabem quando? Quando dos torneios de futebol entre as fazendas vinham os sorveteiros, mas, não dava nem tempo e os sorvetes acabavam. Os sorveteiros traziam sorvete de groselha, nata e limão. Muitas crianças, normalmente, ficavam sem sorvete e para agradar, o sorveteiro dava um cubinho de gelo. Mas, no dia-a-dia se resolvia de outro jeito, pois como diz o ditado popular, quem não tem cachorro caça com gato. De vez em quando, dependendo da saudade do sorveteiro, as crianças improvisavam. Como? O pai de Jota tinha uma carriola de madeira com roda de madeira, portanto, entenda, a carriola, no faz de conta, iria fazer o papel do carrinho de sorveteiro e Jota seria o próprio. Mas, e o sorvete? Bem, o sorvete..... simples, no quintal dos fundos da casa de Jota havia plantação de cana caiana, onde de algumas delas se tirava a casca e cortava em dezenas de pedaços. Esse tipo de cana era bem diferente, ou seja, era bem grossa e macia, as de hoje são finas e duras. No centro de cada pedaço de cana havia um canal e nele se introduzia um bambuzinho, nessas circunstâncias seria o palito e, pronto, estava feito o sorvete de faz de conta. O próximo passo seria vender os sorvetes. As crianças se postavam diante das casas e Jota conduzia a carriola com os pedaços de cana. Na medida que passava de frente das casas gritava repetidamente: olha o sorveteiiiiirooooo! De repente, um menino gritava. Sorveteiiiirooooo! Sorveteiiiirooooo! Eu quero um, o senhor tem de quê?.

Jota respondia: tenho de groselha, nata e limão.

Menino: então me de um de limão.

Jota: tome aqui, agora me de o dinheiro.

Menino: tudo bem, vou pegar aqui no meu bolso, quanto custa?

Jota: custa um cruzeiro.

E assim, o menino pagava com dinheiro também de faz de conta, ou seja, folha de goiabeira. Quando pegava dois sorvetes pagava com duas folhas de goiabeira, desse modo, brincavam de sorveteiros. Ei! Você que está lendo, faz idéia do quanto era gostoso o sorvete de verdade? Evidentemente, era assim... maravilhoso, pois, raramente, as crianças do campo ganhavam sorvetes. Você acredita que por esse mundão afora ainda tem meninos que não sabem o sabor de um sorvete?

Nenhum comentário: