quinta-feira, 7 de maio de 2009

Sapatos novos

Nos idos de 1962, Jota com apenas 10 (dez) anos de idade, juntamente com sua família se mudaram da fazenda para a cidade, onde enfrentaram dificuldades para encontrar emprego. O tempo foi passando e Jota sendo pressionado para que se esforçasse no sentido de começar a trabalhar e, assim, contribuir com a renda da família. Jota saia todos os dias a procura até que surge a primeira oportunidade numa sorveteria. Nessa circunstância e levando em conta que já havia ensaiado de sorveteiro de faz-de-conta lá na fazenda, não teve dúvidas, assumiu compromisso em dar a resposta no dia seguinte. Em casa, Jota levou ao conhecimento de seu pai que, de imediato, não aceitou, justificando que aquele trabalho não tinha futuro. No dia seguinte e com aperto no coração, Jota foi até a sorveteria comunicar ao proprietário que havia desistido da intenção.

A procura continuou e deu certo numa livraria. Entretanto, o empregador exigiu que Jota começasse no dia seguinte e que viesse mais bem vestido e de preferência calçado. O fato de estar descalço foi o que justificou a observação. Assim, em casa, Jota explicou ao pai o que havia combinado, porém, teria que usar sapatos. O pai de Jota ficou muito nervoso, uma vez que não tinha dinheiro, no entanto, juntos foram à sapataria que já se encontrava fechada em função do horário, ou seja, o comércio já havia fechado. O pai de Jota conhecia o dono da sapataria, esse, quando solicitado, os atendeu prontamente.

Na sapataria, o pai de Jota informou sobre a falta de dinheiro, mas, ressaltou que o filho começaria a trabalhar e que ao final do mês faria o pagamento. Tudo combinado restava ao Jota escolher os sapatos. Ocorre que a escolha teria de ser por sapatos mais baratos, isso dificultou, pois, esses, seriam os mais feios. Não teve jeito, mesmo contrariado Jota fez a escolha. Destarte, o fato de Jota estar descalço possibilitou sair da sapataria vestindo os sapatos.

Enquanto iam embora, Jota caminhava cabisbaixo, não por vergonha, mas sim por curiosidade, pois há muito não usava sapatos. Nas ruas, não havia ninguém. Nessa época, não havia televisão, as pessoas dormiam cedo e isso culminou com outro problema. Jota havia desaprendido de como caminhar usando sapatos, assim, na medida em que pisava na calçada o barulho se fazia anormal. Jota tentava não fazer tanto barulho, porém não conseguia, foi quando seu pai parou a sua frente e disse: se você não pisar devagar vai acordar todas as pessoas, até parece soldado marchando no pátio do quartel!

O problema é que Jota não sabia caminhar com sapatos. A solução foi tirá-los e continuar descalço. Em casa, o pai de Jota encontrou solução, ou seja, molhou o solado dos sapatos que eram de couro puro e duro. No dia seguinte, Jota vestiu os sapatos e caminhou sem fazer barulho e se apresentou ao patrão. No final do mês, efetuou o pagamento dos sapatos barulhentos, porém jamais deixou de refletir, pois, até hoje, nesse mundo globalizado, milhares de meninos ainda não sabem usar sapatos.

Nenhum comentário: