segunda-feira, 9 de março de 2009

Qualidade de Vida

Amigos e Amigas desse imenso Brasil. Saibam que os nossos governos sempre foram extremamente capitalistas. Essa história de esquerda socialista, na nossa opinião é mais ou menos como o velho ditado, ou seja, “só para inglês ver” e o “S” inserido nas siglas dos partidos políticos não corresponde em nada com socialismo. Nós diríamos que corresponde sim ao corporativismo daqueles que os integram. Destarte, alguns partidos não têm o “S” mas comungam e demonstram simpatia a ideologia, Leninista, Stalinista, Castrista ou Bolivarianista. Todos são iguais, simplesmente, porque adoram o poder. Não somos contra alguém adorar a posição de destaque, pois numa “democracia” é o povo quem possibilita esse privilégio. Entretanto, o povo fica a esperar que os compromissos de campanhas sejam cumpridos. O tempo vai passando as pessoas vão completando seus ciclos de vida e nada acontece. Não é justo para nenhum brasileiro nascer, crescer e permanecer sempre a margem do direito e morrer. Vocês acham que temos um bom governo? Não sabem? Pois bem, então analisemos sob o seguinte aspecto. Verifiquemos as manchetes dos jornais e atentemos para o lucro dos bancos brasileiros; constataremos que foi, assustadoramente, fantástico. Mas se utilizássemos o limite do nosso cheque especial; ah desculpem, estaríamos lascados! Talvez estivéssemos errados? Não! Analisemos de novo: se o lucro dos bancos foi fantástico significa que a fonte foi o povo. Quando digo povo me refiro aos pobres. Sim, esses mesmos que, às vezes lutam para montar uma pequena empresa que funciona um ou dois anos e fecha, pois não tem como se manter, ou seja, não existe uma política compreensiva de juros. No Brasil abrem milhares de empresas por ano e elas têm um ciclo pequeno. Na verdade se comparássemos com a vida, elas nascem, crescem pouco e morrem precocemente. No nosso entendimento, um governo socialista ou progressista deveria pulverizar a sociedade com os resultados positivos. Ao longo do tempo a massa presencia o privilégio de poucos à custa do sacrifício de muitos. Nós precisamos mudar comportamento e substituir a maioria dos políticos de carreira. Esses, concretamente, são especialistas nos discursos (retóricas), porém jamais estarão preocupados ou farão esforço para melhorar a nossa qualidade de vida. A vida é curta e pelo que se sabe até então, efetivamente, só temos uma.

Nenhum comentário: