quarta-feira, 4 de março de 2009

Piracema - O Outro Lado


Os peixes gastam energia quando vencem corredeiras e transpõem tombos, quedas d‘água e cachoeiras etc. Às vezes dá-se a impressão de que eles estão suando, transpirando, pois o ambiente fica impregnado do cheiro típico. Os pescadores também transpiram no esforço de capturá-los e por isso muitos infringem as leis. Muitos desses pescadores praticam a pesca ilegal por força da cultura adquirida, ou seja, de pai para filho; outros praticam com conhecimento do erro, no entanto, são motivados por causa da atividade esportiva. Mas também tem aqueles que fazem da pesca a profissão e mesmo assim também ficam a margem das leis. Alguns deles não têm consciência suficiente para impedi-los da atividade predatória. Agora, nós também não podemos esquecer que muitos pescadores (infratores) sabem da lei, entretanto, força maior os arrasta para a prática do ato ilegal. Qual força maior? Bem, muitas das vezes, o homem provedor de família com três ou quatro filhos, se encontra desempregado e sem a quem recorrer. Nessa circunstância e sem acesso ao pão de cada dia só lhe resta buscar alternativa. Assim, mais uma vez, a natureza soluciona o problema, mesmo que parcialmente. Mormente, é muito difícil aplicar a lei, pois, sabe-se que o estado deveria tutelar o cidadão a ponto de lhe propiciar condição de moradia, saúde, educação, lazer, emprego e renda etc. A lei tem de ser aplicada, pois, do contrário a omissão se irradiaria e tornaria impossível viver com a tão desejada sustentabilidade. Concluindo: 2.000 anos atrás um homem simples, porém rico em humildade multiplicava os peixes, infelizmente, hoje, Ele mantêm-se afastado. Talvez, também tenha esperança de que os seus irmãos possam se autocorrigir e seguir os conselhos por ele deixados.

Nenhum comentário: