segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Cuba, antes do Socialismo. Você sabia?

Cuba era o 3° país mais rico das Américas, com a 3° capital mais moderna do mundo, 6° maior renda per capita do mundo, país mais rico que a Itália, Espanha, Japão, Áustria e Portugal.
Fatos que provavelmente vc não sabia sobre Cuba! (Antes do socialismo)

1° Em 1956, a ONU reconheceu Cuba como o segundo país na América Latina com as menores taxas de analfabetismo (apenas 23,6%). As taxas do Haiti era de 90%; e da Espanha, El Salvador, Bolívia, Venezuela, Brasil, Peru, Guatemala e República Dominicana 50%.

2° Em 1957, a ONU reconheceu Cuba como o melhor país da América Latina em número de médicos per capita (1 por 957 habitantes), com o maior percentual de casas com energia elétrica, depois o Uruguai; e com o maior número de calorias (2870) ingeridas per capita.

3° O primeiro hotel a ter ar condicionado Central em todo o mundo foi construído em Havana: o Hotel Riviera em 1951.

4° A primeira nação da América Latina e a terceira no mundo (atrás da Inglaterra e dos EUA), a ter uma ferrovia foi Cuba, em 1837.

5° A primeira demonstração, em nível mundial, de uma indústria movida a eletricidade foi em Havana, em 1877.

6° Cuba já tinha uma excelente escola de medicina, investia-se pesado em pesquisa ao ponto de Cuba ter em 1881, descoberto o agente transmissor da febre amarela e definiu sua prevenção e tratamento e de ter aplicado a primeira anestesia com éter na América Latina, em 1847.

Em 1907, estreou em Havana o primeiro aparelho de Raios-X em toda a América Latina.

7° O primeiro sistema elétrico de iluminação em toda a América Latina (incluindo a Espanha) foi instalado em Cuba, em 1889.

8° Entre 1825 e 1897, entre 60 e 75% de toda a renda bruta que a Espanha recebeu do exterior vieram de Cuba.

9° O primeiro bonde que circulou na América Latina foi em Havana, em
1900.

10° Também em 1900, antes de qualquer outro país na América Latina, foi em Havana que chegou o primeiro automóvel.

11° A primeira cidade do mundo a ter telefonia com ligação direta (sem necessidade de telefonista) foi em Havana, em 1906.

12° Em 19 maio de 1913, quem primeiro realizou um vôo em toda a América Latina foram os cubanos Agustin Parla e Rosillo Domingo, entre Cuba e Key West, na Forida, EUA, que durou uma hora e quarenta minutos.

13° Em 1922, Cuba foi o segundo país no mundo a abrir uma estação de rádio e o primeiro país do mundo a transmitir um concerto de música e apresentar uma notícia pelo rádio.

14° A primeira locutora de rádio do mundo foi uma cubana: Esther Perea de la Torre. Em 1928, Cuba tinha 61 estações de rádio, 43 delas em Havana, ocupando o quarto lugar no mundo, perdendo apenas para os EUA, Canadá e União Soviética. Cuba foi o primeiro país no mundo em número de estações por população e área territorial.

15° Em 1937, Cuba decretou, pela primeira vez na América Latina, a jornada de trabalho de 8 horas, o salário mínimo e a autonomia universitária que foi perdida com o regime de Fidel Castro.

16° Em 1940, Cuba adotou a mais avançada Constituição de todas as Constituições do mundo. Na América Latina foi o primeiro país a conceder o direito de voto às mulheres, igualdade de direitos entre os sexos e raças, bem como o direito das mulheres trabalharem.

17° O segundo país do mundo a emitir uma transmissão pela TV foi Cuba, em 1950. As maiores estrelas de toda a América, que não tinham chance em seus países, foram para Havana para atuarem nos seus canais de televisão.

18° O primeiro prédio construído em concreto armado em todo o mundo fica em Havana: O Focsa, em 1952.

19° Em 1954, Cuba tinha uma cabeça de gado por pessoa. O país ocupava a terceira posição na América Latina (depois de Argentina e do Uruguai) no consumo de carne per capita.

20° Em 1940, Cuba foi o primeiro país da América Latina a ter uma presidente da raça negra, eleita por sufrágio universal, por maioria absoluta, quando a maioria da população era branca. Ela se adiantou em 68 anos aos Estados Unidos.

21° Em 1955, Cuba era o segundo país na América Latina com a menor taxa de mortalidade infantil (33,4 por mil nascimentos).

22° Cuba tinha mais carros transitando pela ruas de Havana do que em todo o Brasil.

23° Cuba foi o primeiro país do mundo a ter TV a cores.

24° Em 1958, Cuba foi o segundo país do mundo a emitir uma transmissão de televisão a cores.

25° Em 1959, Havana era a cidade do mundo com o maior número de salas de cinema: (358), batendo Nova York e Paris, que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente.

Hoje, depois de mais de meio século, a "Revolução" socialista cubana, a mais antiga ditadura do planeta tem sido acusado de inúmeras violações dos direitos humanos, incluindo tortura, detenções arbitrárias, julgamentos injustos e execuções extrajudiciais (também conhecido como "El paredón").

A Human Rights Watch acusa o governo de "reprimir quase todas as formas de dissidência política" e que "aos cubanos são sistematicamente negados direitos fundamentais de livre expressão, associação, reunião, privacidade, movimento e devido processo legal."

Os cidadãos não podem sair ou voltar para Cuba sem obter primeiramente uma permissão oficial. E viva o regime de Fidel Castro!

Fonte: 
https://www.facebook.com/281403611983441/videos/323424711114664/

Na nossa opinião, o Sargento Fulgêncio Batista conduzia muito bem a política governamental e desenvolvimentista em Cuba. Infelizmente, ele foi derrotado por aqueles que invejavam o seu sucesso. Não conseguiram empreender da mesma forma e o resultado todos podem comprovar conhecendo parte da história.

sábado, 12 de novembro de 2016

A Esperança dos Brasileiros: um governo do povo, para o povo e pelo povo.


Caros amigos, no Brasil de hoje, não existe guerra semelhante aquela que terminou em 1945, mas com certeza existe guerra sim. Na verdade, as batalhas travadas são inúmeras e os conflitantes alcançam número acima dos duzentos milhões. Obs.: parte desses duzentos milhões se encontra doutrinada, ao ponto de o sofrimento se tornar algo bom.

Os brasileiros teriam três importantes tipos de armas para as suas defesas. São elas: o voto, o exercício de cidadania e a representatividade nos parlamentos. Percebem que essas armas não conseguem alcançar sucesso? Óbvio, pois em face de uma retórica advinda ou copiada de Goebbels, a mentira tem aparência de verdade. Percebem por que a hipótese do voto fracassa? Ato contínuo, notadamente, fracassa a representatividade, vez que discípulos de Goebbels foram fiéis à Teoria e Prática.

Ah, esquecia-me do exercício de cidadania, esse também fracassa por mais que seja exercido. Por exemplo, experimente conversar pessoalmente com aquele candidato que você votou; envie a ele uma solicitação para alguma demanda que traga benefício a você e parte da população; ou aproveite o Facebook envie a ele uma sugestão de melhoria de uma política pública. Sabem o que acontece, na maioria das tentativas, você se sentirá frustrado, vez que às pessoas simples só merecem atenção nas campanhas eleitorais. 

Ao mesmo tempo, nós observamos que quanto pior as crises, mais os bancos se dão bem. Obs.: nada contra os lucros dos bancos, mas quando esses de modo cruel exploram o sofrimento do povo trabalhador, nasce uma revolta incomensurável. A contrariedade, talvez nem seja totalmente com relação aos bancos, mas sim contra os governos que nos representam em concordar com o comportamento. Por que tanta docilidade ou amabilidade com os bancos e seus lucros extremamente altos.

Ora, aquelas pessoas que, mormente, saldam suas dívidas não tem culpa por causa da inadimplência dos outros, ou têm? Têm, vez que os juros dos cartões de crédito são calculados com base aos maus pagadores. Desta forma, os bons pagam pelos maus com a concordância das autoridades.

Outro exemplo, nalguns municípios, prefeitos subsidiam o transporte coletivo para não aumentarem o valor da passagem. No contexto, parte da população fica contente sem se dar conta que a outra parte está pagando a diferença. Quem é que se dá bem com o subsidio? Os empresários do setor de transporte e os prefeitos.

E mais, atualmente, testemunhamos polêmica com relação ao preço do etanol, esse produto nacional não consegue ter preço convidativo aos proprietários de carros flex. Justificativas: a abundância ou ausência de chuvas prejudicou a manutenção das lavouras, bem como a produção.

Com relação ao Estado de São Paulo, o etanol produzido no interior tem de ser transportado para as distribuidoras; mais ou menos assim: o etanol produzido nos municípios de Olímpia, Orindiuva, Palestina, Guapiaçu e Catanduva deve ser transportado para a cidade de Paulínia e só depois retorna para os postos de combustíveis desses municípios produtores.

Caramba, por que o governo não autoriza as usinas a comercializarem o etanol diretamente com os postos? Resposta: por causa do controle fiscal. Ora, se levar em conta os impostos embutidos no litro do etanol, não haveria dificuldades e nem prejuízos em manterem equipes de fiscalização junto as próprias usinas. Na impossibilidade, as equipes poderiam patrulhar de modo itinerante.

Por que enfatizo sobre o etanol? Simples, o prejuízo ambiental nas regiões produtoras desse combustível é imenso, basta observar até o limiar do horizonte, você não avistará nenhuma Reserva Legal e nem mesmo árvores isoladas. E pior, a demanda pela água, nos faz pensar que o mineral deixou de ser um bem comum. Sim, e prova disso está nas está nos gráficos, esses expõem o quanto se gasta de água para se produzir o caríssimo combustível automotivo etanol.

Amigos, nós poderíamos incluir muitos outros exemplos, no entanto, interrompo por aqui, pois a intenção foi demonstrar que os governos jamais será do povo, para o povo e pelo povo. Forte abraço.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Defender o Brasil

(foto: Jorge gerônimo hipólito - arquivo: CPamb)
Um dia usei farda, camuflagem, cantil e fuzil. Cavei trincheiras, marchei em ordem unida. Prestei continência, corri em acelerado. Cantei o hino nacional, da bandeira e da brigada. Tirei guarda, fiz faxina, puxei pernoites. Fiz corridinhas mixurucas que não davam nem pra cansar. Aprendi sobre honra, retidão, respeito e confiança e que armas não geram violência e flores não trazem a paz. E sim, as intenções das mãos que as carregam. Aprendi que devemos respeitar pai e mãe. Que a família é a base da educação. Hoje minha farda não é mais um camuflado. Algumas fotos já amareladas pelo tempo, me acertam o peito e fazem meus olhos jorrarem. Minha garganta sufocada por um nó de saudade, me lembra que a minha missão já foi cumprida. Que minhas batalhas já não são mais em trincheiras. Do estampido do fuzil nunca me esqueço e ainda sinto o solavanco da chapa da soleira em meu peito. As noites na guarda, ainda estão nas lembranças e os amigos de companhia em meu coração. Não uso camuflagem, nem mato minha sede no cantil, nem presto mais continência e nem ordem unida. Mesmo assim, minha alma nunca deixará de ser um Soldado, e pronto para defender o Brasil.
O texto de Marcelo Frazão se adapta a história de vida de qualquer Soldado, que ao longo do tempo amou servir aos anônimos, conhecidos e amigos.